Artigo do NYP sobre o musical da Cher

CherSPArtebanner

HEY LOVELIES! Graças ao feriado tivemos um tempinho de atualizar o site e traduzir este artigo do The New York Post sobre o musical da Cher!

A curiosidade no meio do texto bem que poderia ter se tornado realidade, né? Bem. Vamos deixar vocês lerem primeiro. rs

Esse é um show da broadway que vai ter uma verba altíssima para figurinos: “Cher: O Musical.”

O ícone do pop twittou há alguns anos que gostaria de fazer um musical sobre sua vida. Ela conheceu o roteirista veterano Rick Elice para discutir algumas ideias. Tudo por baixo dos panos, até essa semana.

Amanhã, Elice vai apresentar a primeira versão do roteiro para os produtores do show: Jeffrey Seller, que está bombando com “Hamilton,” e o fabuloso Flody Suarez, um antigo produtor de TV que plantou a ideia do musical na cabeça da Cher.

“Pode ser que eles me tranquem numa van e mandem sumir comigo depois de ver o que fiz com a vida dela”, diz Elice. “Ou vou começar a fazer o que Arthur Laurents sempre disse sobre musicais, ‘Eles não são escritos. São reescritos”

Elice vai apresentar este primeiro script para a própria Cher no dia 20 de maio, dia do aniversário de 70 anos dela.

Ele está determinado a não fazer apenas um musical biográfico, mesmo que ele tenha tido muito sucesso com Marshall Brickman por terem escrito “Jersey Boys,” sobre o grupo Four Seasons, que está em cartaz no Teatro August Wilson desde 2005.

O problema com a Cher, diz Elice, é que “a vida dela é tão bem documentada que não há muitas coisas que não sabemos sobre ela. Eu nunca fui um fã fanático da Cher, mas quando comecei a escrever, fiquei surpreso com a quantidade de coisas que eu sabia.”

Fontes dizem que o musical vai apresentar ao público a vida da Cher como criança, como esposa do Sonny Bono e como a mulher que encontrou o sucesso – e seu status de lenda – sozinha.

Três atrizes devem interpretá-la nessas três fases. Todas devem ter longas pernas.

Especula-se que Cher possa aparecer uma vez ou outra no fim do show como a Cher atual, mas isso provalvelmente não deve acontecer.

A vida dela é certamente grande o suficiente para um musical. Nascida Cherilyn Sarkisian LaPiere em Los Angeles, com uma mãe que lutou para ser atriz enquanto trabalhava de garçonete em contra turno. Sua família se mudou diversas vezes e nunca teve muito dinheiro. Ela até chegou a viver num orfanato.

Desde jovem, Cher sabia que queria ser famosa. Ela trabalhava como backing vocal em LA quando conheceu Sonny Bono, que também lutava para alcançar o sucesso, em 1962. Juntos eles chegaram ao topo e tiveram inclusive um fabuluso programa de TV, “The Sonny & Cher Comedy Hour.”

Depois do divórcio em 1975, Cher se reinventou, primeiro como cantora, depois como atriz. A primeira grande aparição como atriz foi no musical da Broadway de 1982 “Come Back to the 5 and Dime, Jimmy Dean, Jimmy Dean.” Mike Nichols a viu e a escalou para “Silkwood,” quando começou a outra fase de sua carreira: estrela do cinema.

(Curiosidade que poucos sabem: “Jimmy Dean” foi a única vez em que Cher apareceu na Broadway, mas seu amigo (e ex namorado) David Geffen insistiu para que ela interpretasse Grizabella em “Cats,” que ele produziu com os Shuberts.)

“Cher: O Musical” — esse é apenas o título provisório, gente — vai tratar de todos os aspectos da vida dela ao som de hits como “I Got You Babe,” “Gypsies, Tramps and Thieves,” “Take Me Home,” “Believe,” “If I Could Turn Back Time.”

“Até agora, trabalhei nisso sozinho — bem, eu e o iTunes,” diz Elice.

Ele deixou este trabalho um pouco de lado ano passado para cuidar de seu marido, o grande Roger Rees, que estava com um tumor no cérebro. Rees faleceu em julho de 2015. Três meses depois, Cher ligou. Ela sugeriu retomar o trabalho junto com ele e o convidou para passar um tempo com ela em sua casa em Malibu.

Elice diz: “Eu pensei, se o Roger estivesse aqui, a primeira coisa que ele diria seria, ‘Pegue esse avião neste exato momento e vá para a casa da Cher!’ Quer dizer, se você quer reunir a raça humana, porque não fazer isso com a Cher?”